HOME                                                                                                                                                                                                         FALE CONOSCO

A ONG Contra Peso Brasil, em conformidade com o Artigo 2 de seu estatuto tem por finalidade "Lutar contra qualquer tipo de preconceito à Obesidade e discriminação ao Paciente Obeso", desta forma, enviamos a Rede Record de Televisão a carta abaixo, demonstrando todo nosso repudio às piadas que foram feitas utilizando como único tema a obesidade de uma das personagem do programa.

São Paulo, 15 de setembro de 2006.

 

A

Rádio e Televisão Record S.A.

Rua da Várzea, 240 – Barra Funda.

São Paulo – SP

 

A/C Thaís Nogueira

Produção do Programa “O Infeliz”

 

Prezados Senhores:

 

A “Contra Peso Brasil” é uma organização sem fins lucrativos, devidamente constituída na forma da lei e registrada no 10o. Cartório de Registro das Pessoas Jurídicas desta capital sob o nº 11.113.

 

Dentre seus objetivos precípuos, esta organização não governamental tem como finalidade “Lutar contra qualquer tipo de preconceito à Obesidade e discriminação ao Paciente Obeso”.

 

Assim sendo, servimo-nos da presente para externarmos nosso total repúdio às infames e repulsantes palavras dirigidas à personagem “Mulher Gorda” pelo protagonista do programa “O Infeliz”, Senhor Tom Cavalcanti, caracterizado de Tompete Justus.

 

Cediço é que a obesidade é uma doença crônica, reconhecida pela classe médica mundial e Classificada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como epidêmica.  Além disso, é de amplo conhecimento também a gama de doenças associadas à obesidade, denominadas “comorbidades”, que invariavelmente acometem o paciente obeso, como hipertensão arterial, diabetes, apnéia do sono, artropatias, além dos males sociais e psicológicos que recaem sobre o portador dessa doença. O obeso é sempre discriminado como culpado da sua situação, quando na verdade, é vítima de uma doença.

 

Desta feita, não se pode admitir tamanha zombaria, desrespeito e principalmente escárnio, de forma livre e proposital, com uma pessoa que representa, em última análise, um doente, principalmente quando o objetivo é apenas humilhar não só a própria atriz do programa, que em verdade representa apenas um papel, mas sim todo um contingente da população que, infelizmente, se vê acometido por esta doença.

 

As piadas que fazem uns rirem, os magros, os “saudáveis”, ao mesmo tempo fazem os doentes chorarem. O câncer e a AIDS, para ficarmos com apenas dois exemplos, também são doenças que levam à morte, e nem por isso se faz piadas com pacientes portadores destas nefastas enfermidades, principalmente piadas relacionadas especificamente à doença. No caso da personagem, até o texto que ela mesmo diz é preconceituoso.

 

A sociedade parece não se cansar em discriminar o doente de obesidade. As piadas que são veiculadas pelo programa, invariavelmente, se voltam contra os obesos no local de trabalho, na rua, em todos os lugares, fazendo com que a pessoa doente se sinta cada vez mais incapaz de lutar contra sua condição.

 

A obesidade, apesar de sem cura, tem possibilidade de ser controlada, não só através de procedimentos cirúrgicos mas também pela conscientização de que é uma doença e como doença deve ser tratada.  A “Contra Peso Brasil”, neste diapasão, entende que  emissora estaria contribuindo muito mais para a erradicação desta terrível doença se, ao invés de escrachar e menoscabar os portadores de obesidade mórbida, veiculasse e divulgasse os “programas de ação” existentes atualmente no combate à obesidade.

 

Por fim, em consonância ao que estatui o inc. IV do art. 3o. cominado com o inc. V do art. 5o. da Constituição Federal, a “Contra Peso Brasil” requer seja concedido, no primeiro programa a ser veiculado após o recebimento desta, direito de resposta proporcional ao agravo cometido pela emissora, para que o protagonista do programa “O Infeliz”, sr. Tom Cavalcanti, retrate-se de todas as palavras até então proferidas contra a personagem obesa, com pedido de escusas por zombar de uma pessoa doente, além de divulgar que a obesidade é uma doença séria e com tal deve ser tratada, pelo portador, sua família e toda a sociedade.