Volta à Página Principal Veja as últimas Notícias sobre a Obesidade Sites de Assuntos Relacionados

 

 

ATIVIDADE FÍSICA

"O homem só muda de vida, mudando de atitude" 

Sabe aquela propaganda do Biscoito: "Será que eles  vendem mais porque são fresquinhos ou são fresquinhos porque vendem mais? ".  Eu as vezes fico pensando assim: Será que eu era gordo porque não fazia exercícios ou se não fazia exercícios por que era gordo? Ainda não cheguei a nenhuma conclusão. Um dia desses me  perguntei... Será que eu era preguiçoso mesmo ou se realmente não tinha condições de fazer nenhuma atividade? Enfim, o fato é que eu não me mexia nunca. Ia de carro para qualquer lugar e nem me imaginava fazendo uma caminhada maior do que a distância da sala para a  cozinha. Depois da cirurgia eu continuei sendo  muito gordo, mas alguma coisa mudou. Nos primeiros dias, ainda nem tinha tirado os pontos, arrisquei minha primeira caminhada no Bosque. Andei uns 200 metros, entre ida e volta, mas era a minha primeira caminhada depois de anos totalmente sedentários. Conforme eu ia emagrecendo, ia aumentando o percurso. Na pista da Esmeralda, uma pista de Cooper aqui de minha cidade, andava bem davagarinho, sentando de vez em quando nos bancos, sempre tentando continuar e nunca desistindo. Conforme o peso ia baixando a auto-estima ia ficando maior e a resistência física também. Eu sentia meu corpo mais leve a cada semana e isso me servia de estimulo para não parar. Dia-a-dia eu sentia meu pulmão mais forte, meu pulso mais estável, minha pernas menos inchadas...  enfim, sentia que estava conseguindo recuperar minha saúde.

Nos primeiros meses eu me dediquei simplesmente a caminhar. Ia no bosque ou caminhava na rua mesmo quase todos os dias e normalmente andava 1200  metros. Conforme me sentia bem, aumentava o percurso em um dia e voltava no outro. Tentei praticar outros esportes, mas ainda não me sentia totalmente a vontade. Na academia o ambiente era hostil.  Nenhum daqueles aparelhos foi feito pensando em alguém com mais de 150 quilos e eu ainda estava longe disso. Fiz alguns meses de hidroginástica com a ajuda de um Personal Trainer , mas percebi que aquela não era minha praia (ou piscina).  O problema maior desses lugares é o culto exagerado ao corpo. Pessoas mais gordas dificilmente se sentem bem em ambientes aonde o culto à magreza é exagerada.

Com o tempo fui ganhando um bom condicionamento físico e percebi que aquela caminhada lenta já não me cansava mais, nem mesmo me fazia transpirar e nem aumentava os meus batimentos cardíacos. Um dia, depois de mais ou menos 1 ano da cirurgia, quando eu já devia estar pesando uns 160 quilos ( ainda é muito, mas não se esqueça que eu já cheguei aos 300 quilos) arrisquei uma caminhada intermediária, que não é nem corrida nem caminhada. Na internet eu encontrei esse tipo de atividade com o nome de POWER CAMINHADA. Nessa altura eu já estava conseguindo andar normalmente 6 quilômetros, e comecei alternando. Andava 500 metros e corria 100. Algum tempo depois aumentava para 200, 300, 400... Quando via que tinha passado do meu limite, permanecia alguns dias na mesma distância. A ajuda e o incentivo de minha esposa foram essenciais nessa fase. Ela sempre me estimulando e me acompanhando, por mais atenção que eu chamasse.

Chega uma etapa do tratamento aonde o peso literalmente estaciona. Os chamados Platôs.  Isso aconteceu comigo mais ou menos nos 180 quilos. Fiquei preocupado. Já até poderia me considerar um vitorioso, afinal já havia emagrecido mais de 100 quilos. Mas eu não estava satisfeito....

Resolvi que tinha que emagrecer mais. Comecei com um programa rigoroso de caminhadas diárias. Para não perder nenhum dia, aos finais de semana eu caminhava com o cachorro uns 16 quilômetros. Fazia disso uma religião. Nos dias em que não corria por alguma razão, ficava deprimido e achava que alguma coisa estava faltando. Nessa rotina consegui chegar aos 137 quilos e novamente estacionei.  O organismo da gente é interessante... o peso estaciona por alguns meses e quando menos esperamos aparece uma baita diferença na balança. 

Em Janeiro de 2002, quando já estava próximo aos 130 quilos resolvi arriscar na musculação, principalmente para tentar minimizar a flacidez que só será realmente reduzida nas cirurgias plásticas. Comecei na academia do Yara Clube com um programa de readaptação, pois afinal de contas, nesses 160 quilos foram embora, além da gordura, músculos também. Fazia exercícios de 3 séries de 15 repetições com pouco peso e conforme o músculo criava resistência ia aumentando a carga. 

Comecei a sentir  os benefícios físicos da musculação, sentir o meu corpo reagindo, os músculos ficando mais rígidos, mas como era de se esperar, a balança estacionou novamente... 

Precisava de algum estimulo. Emagrecer já não podia ser minha única motivação, pois além da dificuldade de eliminar o peso, eu já estava me sentindo muito bem. Li em alguma revista ou artigo uma frase de Walt Disney: "Se posso sonhar, posso fazer." Resolvi sonhar. Queria correr a São Silvestre.

Passei alguns meses sem fazer nenhuma atividade, de Maio à Agosto de 2003, pois estava me recuperando da cirurgia plástica e fui proibido de fazer qualquer atividade, apenas caminhadas leves. Em Setembro, liberado pelo médico, comecei a me dedicar sistematicamente à realização do meu sonho. O primeiro teste foi participar da Corrida "10K TV TEM" que foi realizada aqui em Marília. Consegui completar a prova em pouco mais de 1 hora. Mesmo chegando entre os últimos, me senti um campeão. Agora era treinar sério para a São Silvestre.

Cid passando na Linha de Chegada da São Silvestre (Foto Ativo. com)Pesando 115 quilos, ninguém acreditava no meu sonho. Procurei patrocinadores da minha cidade, mas achavam que meu sonho era piada.

Consegui o apoio de uma multinacional, que me deu uma ajuda em dinheiro. Um dos médicos que me operou me ofereceu um Tênis, mas na última hora não pode comprar. A Secretaria de Esportes da minha cidade nem se dignou.

Com o apoio da minha família e  do Diretor do Hospital das Clinicas, Dr. Francisco  Soares, que me ajudou com as passagens, fui para São Paulo realizar o meu sonho. Fiquei hospedado na casa do Tio Vinicius, que apesar de não entender muito o porque, também me apoiou.

No dia 31 de dezembro de 2003, em 2 horas, 3 minutos e 13 segundos, realizei o meu sonho. Com 185 quilos a menos, corri a minha primeira São Silvestre.